Crohn's News Blog

Weblog – Informação sobre DII

Archive for the ‘influenza A (H1N1)’ Category

Apesar das suspeitas de narcolepsia relacionada com a Pandemrix, DGS recomenda vacinação contra Gripe A

leave a comment »

Saúde | Gripe A

A Direcção-Geral de Saúde (DGS) mantém a recomendação de vacinação contra a Gripe A, apesar das suspeitas de narcolepsia em pessoas vacinadas com a Pandemrix.

A DGS mantém a recomendação de vacinação com a Pandemrix, contra a Gripe A, apesar de um estudo finlandês que sugere que as crianças que foram vacinadas têm nove vezes mais probabilidade de sofrer de narcolepsia, um distúrbio raro do sono.

«Uma vez que a associação vacina Pandemrix [contra a gripe pandémica] e narcolepsia não está provada e que o benefício de vacinação é superior ao risco de adquirir narcolepsia, a DGS mantém as Orientações de vacinação para a época gripal 2010/2011», refere a Direção-Geral da Saúde em comunicado publicado na sua página oficial na Internet.

Um estudo finlandês detectou um aumento de narcolepsia em crianças que tinham sido vacinadas contra a estirpe H1N1, que sugere que o mais provável é que este distúrbio do sono seja o resultado de um efeito conjunto da vacina Pandemrix e de outros factores.

A investigação preliminar, foi levada a cabo por um comité finlandês que estuda a narcolepsia, depois de ter sido detectado um aumento de casos de narcolepsia em crianças entre os quatro e 19 anos que foram vacinadas.

As pessoas que sofrem de narcolepsia adormecem de forma repentina e sem aviso. A causa da doença é desconhecida mas está associada a uma combinação de factores genéticos e ambientais.

fonte: jornaldigital.com

H1N1 survivors have ‘super’ immunity

leave a comment »

Written by CarlAn

15/01/2011 at 21:23

Gripe A: Nove casos de Gripe A confirmados entre enfermeiros de um hospital na Guarda

leave a comment »

Written by CarlAn

07/01/2011 at 16:12

DGS reforça apelo para vacinação contra a gripe A

leave a comment »

Written by CarlAn

13/12/2010 at 13:30

Publicado em gripe A, H1N1, influenza A (H1N1)

Tagged with , ,

Gripe A (H1N1): Francisco George afirma que “vírus vai regressar”

leave a comment »


Gripe A: “O vírus vai regressar”, declarações de Francisco George, director-geral da Saúde
Gripe A – Portugal

A pandemia da gripe A ainda não acabou e no Outono surgirá uma segunda vaga, afirma o director-geral da Saúde, Francisco George, em entrevista à revista ‘Focus’ nesta quarta-feira.

“Sabemos que a actividade do vírus vai continuar, vai prosseguir e que será preponderante na próxima época e por isso faz todo o sentido as pessoas continuarem a vacinar-se”, sustenta Francisco George.

O director-geral da Saúde afirma ainda que “o vírus não vai desaparecer. Temos a certeza que vai regressar e vai ser responsável por nova actividade epidémica”, acrescentando que “não se sabe que intensidade (o vírus) terá”.

Em relação as vítimas mortais, Francisco George diz que em Portugal, “foram registados 122 óbitos com uma idade muito inferior à gripe sazonal”.
Correio da Manhã


No Outono o vírus volta, era de se esperar, foi a estirpe predominante em 2009 e voltará com certeza, isso é certo, e de uma outra coisa poderemos também afiançar, as entidades oficiais continuarão a relembra-nos desse facto por vários motivos.

Primeiro porque temos por cá mais de 3 milhões de vacinas nos frigoríficos em vias de passar de prazo, parece que a GSK não está pelos ajustes de receber ou renegociar mais excedentes de vacinas, relembro que Portugal já devolveu 2 milhões, inicialmente comprou 6 milhões, apenas cerca de 700 mil pessoas foi imunizada contra o H1N1, sobrando assim mais de 3 milhões de vacinas.

.

Depois há que manter a coisa em banho-de-maria, não deixar cair em esquecimento, ir lembrando, ir sempre criando e alimentando o receio e o medo, de facto é disso que se trata, “receio, alarmismo e medo”, enjeitando sempre que, desde a OMS até ao diversos governos nacionais, foram “precipitados” na avaliação do risco, foram “irresponsáveis” no esbanjamento dos dinheiros públicos e foram “alarmistas” e “inaptos” na comunicação com o publico, por isso, há que não baixar a guarda não reconhecer o erro nem o facto, e ir mantendo a coisa em banho-de-maria, entretanto culpando os Blogs e as redes social pela sua própria incapacidade …


De facto tivemos um dos anos com menor taxa de mortalidade por gripe, todos os anos morre por complicações associadas a influenza (gripe sazonal) cerca de 250.000/500.000 pessoas em todo o mundo, Portugal seguiu a mesma tendência, tivemos também uma das menores taxas de mortalidade desde há muitos anos.

.

.


A única “taxa” que aumentou devido a Gripe A/H1N1 foi a capitalização bolsista dos cinco maiores laboratórios farmacêuticos produtores das vacinas, esses sim, em plena crise mundial, conseguiram o feito de ficarem “imunizados” (lucrando mais de 5 mil milhões) contra as percas na bolsa.

.

.

.

.

Relacionados:
Gripe A (H1N1) mata menos que gripe sazonal, diz o Instituto Ricardo Jorge

… com a gripe sazonal. Durante cinco semanas a mortalidade foi muito superior ao esperado pelo Sistema de Vigilância Diária da Mortalidade. A  coordenadora da Unidade de Referência e Vigilância Epidemiológica …
Sexta, 05 Fevereiro 2010

APCE: OMS e farmacêuticas acusadas de alarmismo em relação a pandemia de gripe A (H1N1)

… que por causa da gripe sazonal, como os países que não fizeram campanhas de vacinação não tiveram mortalidade maior. Assim, pediu à OMS que retire o nível de alerta pandémico 6, em vigor para a gripe
Segunda, 29 Março 2010
Gripe A (H1N1): Pandemia é menos mortal do que se pensava, revela estudo

… que a taxa de mortalidade causada pela doença ronda os 0,026 por cento, com base na análise de dados oficiais de Novembro. Os cientistas britânicos recuam e afirmam que a pandemia do H1n1 é cem vezes …
Sexta, 11 Dezembro 2009

Gripe A (H1N1) e taxas de mortalidade – infografia
(Gripe A/H1N1/Infografía)

Gripe A (H1N1) e taxas de mortalidade no mundo Doenças várias e percentagens na mortalidade.
Será a pandemia da gripe um exagero? infografia …
Terça, 27 Outubro 2009

Gripe A H1N1: Conselho da Europa vai investigar se farmacêuticas contribuíram para fomentar o pânico

… de 43 e 51 anos, ambas com factores de risco. Mesmo assim, comparando com outros anos, a mortalidade continua abaixo do esperado para época de gripe. No entanto, o Centro Europeu para Prevenção e Controlo …
Sábado, 09 Janeiro 2010

, , , , , ,

Powered by ScribeFire.

Written by CarlAn

22/04/2010 at 22:42

Vídeo mostra como se transmite o vírus da gripe

leave a comment »

Saiba como ocorre o contágio da gripe

Animação narrada por Robert Krulwich, que explica detalhadamente como um vírus da gripe dentro de uma gotícula de espirro pode fazer a infecção e provocar a doença.

Vodpod videos no longer available.

vídeo no Youtube sem legendas

Source: Flu Attack! How A Virus Invades Your Body, by Robert Krulwich

It starts very simply. A virus, just one, latches on to one of your cells and fools that cell into making lots more. Lots, lots more, like a million new viruses. This animation shows you how viruses trick healthy cells to join the dark side.

, ,

Powered by ScribeFire.

Written by CarlAn

20/04/2010 at 15:37

Novartis, resultado operacional cresceu 50% graças à vendas de vacinas para gripe A

with one comment

Novartis lucrou mais 49% no primeiro trimestre

A suíça Novartis registou um resultado líquido de 2 900 milhões de dólares no primeiro trimestre de 2010, mais 49% face aos lucros de há um ano atrás, foi divulgado esta terça-feira.


O desempenho reportado reflecte, em parte, o impacto das vendas de vacinas contra a gripe A (H1N1). O resultado operacional cresceu 50%, até aos 3,5 mil milhões de dólares. As vendas e os lucros da Novartis ultrapassaram as projecções de analistas.

As receitas do trimestre ascenderam a 12 100 milhões de dólares, evidenciando incremento de 25% (+18% a taxas de câmbios constantes). As vendas da vacina para a gripe A-H1N1 representaram 1,1 mil milhões de dólares para o laboratório de Basileia.
Dinheiro Digital


Clique para ver em maior

, , , , , ,

Powered by ScribeFire.

Written by CarlAn

20/04/2010 at 14:49

Gripe A (H1N1): OMS culpa Internet e redes sociais por falha na vacinação

with one comment


Gripe A (H1N1): OMS culpa Internet e redes sociais por falha na vacinação

Direcção-Geral da Saúde também está a avaliar a forma como geriu a situação e vai publicar um relatório em breve.

Informações falsas, especulação e rumores difundidos pela Internet dificultaram o trabalho da Organização Mundial da Saúde (OMS) na gestão da pandemia de gripe A e sobretudo na aceitação da vacina contra o H1N1. Este é um dos argumentos apresentados ontem pelo coordenador Keiji Fukuda para justificar o que correu mal, na reunião de peritos convocada pela própria OMS para avaliar as falhas na gestão da pandemia.
Um diagnóstico partilhado pelo director-geral da Saúde, Francisco George. Aliás, o responsável revelou ao DN que já iniciou uma avaliação à forma como se geriu a pandemia em Portugal. “Estamos a ultimar um relatório que terá um capítulo dedicado à avaliação”, disse ao DN. E nele também concluíram que a importância dos novos media foi subestimada – sobretudo “no empolamento de opiniões” sobre a doença que não tinham fundamento científico.

“Concluímos que é necessário estudar este fenómeno para perceber melhor como comunicar” numa nova era. Uma era em que a informação viaja mais rapidamente por correio electrónico, blogues e redes sociais na Internet do que pelos canais oficiais. E é muito difícil corrigir as ideias erradas depois de começarem a circular na Net, admite. […]

Um dos temas mais polémicos que o comité vai analisar é a acusação de que a OMS exagerou a gravidade desta nova gripe sob influência das farmacêuticas. Sobretudo quanto à necessidade de vacinas. Isto, porque muitos países ficaram com milhões de doses por utilizar, como aconteceu em Portugal.

O Ministério da Saúde (MS) comprou seis milhões de doses à farmacêutica GlaxoSmithKline, por 45 milhões de euros, e até ao final de Março tinham sido utilizadas cerca de 700 mil, com uma adesão claramente inferior ao esperado. A ministra Ana Jorge negociou a devolução de dois milhões de doses mas sobram mais de três milhões – algumas serão utilizadas na próxima estação da gripe, mas o MS quer devolver mais.

Fonte: http://dn.sapo.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1543350

 

Powered by ScribeFire.

Written by CarlAn

18/04/2010 at 20:13

H1N1:Vacinação de grávidas e doentes crónicos está abaixo do esperado, diz Saúde

leave a comment »


H1N1:Vacinação de grávidas e doentes crónicos está abaixo do esperado, diz Saúde
Gripe A – Brasil

20,4 milhões de pessoas foram vacinadas desde início da campanha. Vacinação de grávidas atingiu 48% e de doentes crónicos, 44,2%.

O Ministério da Saúde informou nesta terça-feira (13) que 20,4 milhões de pessoas foram vacinadas contra o vírus H1N1 desde o início da campanha, no dia 8 de Março. O número representa 34,8% do público-alvo das três primeiras etapas da vacinação.

A imunização de mulheres grávidas (48,7%) e pessoas com doenças crónicas (44,2%) está abaixo do esperado, segundo o ministério. Já a vacinação de funcionários da área de saúde superou 97% e a de crianças entre 2 e 6 anos atingiu, até o momento, 73%. Grávidas, crianças pequenas, doentes crónicos e jovens entre 20 e 29 anos têm até o dia 23 para se vacinar. Deste último grupo 20,2% foram imunizados.

Para ser imunizado, é preciso ir aos postos de vacinação levando documento de identidade com foto. O medicamento é contra-indicado a quem tem alergia a ovo.

Na última sexta-feira o Ministério da Saúde prorrogou até o dia 23 de Abril a vacinação de grávidas, doentes crónicos (excepto idosos) e crianças de seis meses e menores de dois anos.

Para quem faz parte desses grupos, não é necessário apresentar atestado médico comprovando gravidez ou doença crónica. Na vacinação das crianças, pais e responsáveis devem levar aos locais de imunização apenas os bebés que já completaram seis meses de idade e os menores de dois anos.

Em relação aos doentes crónicos, devem procurar os postos de vacinação pessoas com menos de 60 anos que têm problemas sérios de coração, pulmão, rins, fígado, diabéticos, pacientes em tratamento para aids (HIV) e câncer ou os chamados grandes obesos.

Aqueles que serão vacinados devem levar aos postos um documento de identidade com foto e a carteira de vacinação do adulto, se possuírem.

Calendário de vacinação (clique em Ler o resto…)

Leia o resto deste artigo »

Written by CarlAn

13/04/2010 at 17:30

Laboratórios: Gripe A (H1N1) deu mais saúde a cinco acções europeias

with one comment


Gripe A deu mais saúde a cinco acções europeias

Os principais laboratórios europeus que vacinaram e trataram a gripe pandémica juntaram mais de € 5,3 mil milhões em receitas durante o ano de 2009 e ofereceram mais saúde aos investidores nos últimos três anos de crise.

Para os accionistas das grandes companhias farmacêuticas europeias, os últimos anos de crise foram passados com menos nervos. As cinco maiores empresas cotadas em bolsa do sector (Novartis, Roche, GlaxoSmithKline, Sanofi-Aventis e Astrazeneca) fizeram valer a sua qualidade mais defensiva.

As suíças Novartis (subiu 6,79% desde Abril de 2007) e Roche (perdeu 1,56% no mesmo período) deixaram para trás as quedas do mercado accionista suíço, que desceu quase 5%, mas também a vizinha europeia Sanofi-Aventis (perdeu 3,76% nos últimos três anos) caiu menos do que as 40 maiores acções francesas (CAC 40 desceu mais de 20%), assim como a britânica Astrazeneca passou pelo turbilhão financeiro e económico dos últimos três anos com perdas de 4,80% face à descida de 23% da totalidade do mercado londrino.

O ano de 2009 foi particularmente favorável às companhias farmacêuticas. O estado de alerta de pandemia de gripe H1N1, decretado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) levou os governos de muitos países a procurar soluções de vacinação e o reflexo está nos resultados anuais apresentados pelas farmacêuticas. A empresa que mais receitas arrecadou decorrentes da nova estirpe da gripe foi a inglesa GlaxoSmithKline, com mais de 991 milhões de euros, seguida da maior empresa europeia do sector, a Novartis, que amealhou 719 milhões de euros em vendas.

Os antivirais usados no tratamento foram também fortes impulsionadores das receitas da Roche e da GlaxoSmithKline. O medicamento Tamiflu, produzido pela companhia suíça e usado no tratamento gripal, cresceu dos 384 milhões de euros de receitas em 2008 para os 2,12 mil milhões em 2009 e o produto farmacêutico concorrente, Relenza, valeu 808 milhões de euros à GlaxoSmithKline, depois de ter gerado 71 milhões de euros de receitas em 2008.

Ao todo, as cinco maiores empresas europeias do sector juntaram mais de 5,3 mil milhões de euros decorrentes da gripe que já matou 17483 pessoas em mais de 213 países, de acordo com os últimos números de Abril da OMS. Ainda assim, estas receitas são uma gota no oceano de vendas das companhias de saúde.

Ler artigo completo em… Expresso.pt

Powered by ScribeFire.

Vacinados contra gripe sazonal mais expostos ao vírus A/H1N1 2009

leave a comment »


Vacinados contra gripe sazonal mais expostos ao vírus H1N1
Gripe A

Um grupo de investigadores canadianos constatou que as pessoas vacinadas contra a gripe sazonal estavam mais expostas ao risco de contrair o vírus H1N1 (gripe A) do que a média da população, segundo um estudo publicado pela revista PLoS Medicine.

Contudo, a pesquisa realizada no Canadá e liderada por Danuta Skowronski, do Centro de Controlo de Doenças de Vancouver, evita estabelecer um vínculo de causa e efeito entre os dois factos, contentando-se em indicar uma «possibilidade».


Leia o resto deste artigo »

Written by CarlAn

07/04/2010 at 15:07

%d bloggers like this: