Crohn's News Blog

Weblog – Informação sobre DII

Posts Tagged ‘gripe A

Gripe A (H1N1): Propagação da Gripe foi mais baixa do que se esperava, diz ministra saúde

with one comment

Propagação da Gripe A foi mais baixa do que se esperava
Gripe A – Portugal
Faz hoje um ano que foi detectado o primeiro caso de gripe A em Portugal

A ministra da Saúde reconheceu ontem que a propagação do vírus da gripe A foi mais reduzida em Portugal do que se esperava, na véspera de se assinalar um ano do primeiro caso detectado no país.

“Fomos capazes de tomar medidas eficazes do ponto de vista da prevenção e da higiene da população, o que fez com que a propagação do vírus tenha reduzido muito e não tenha sido tão grave como o risco apontava”, afirmou Ana Jorge aos jornalistas.

Fonte: Lusa | 2010-05-04

, ,

Powered by ScribeFire.

Written by CarlAn

05/05/2010 at 15:43

Publicado em gripe A, H1N1, pandemia, Saúde, swineflu

Tagged with ,

Gripe A (H1N1): Francisco George afirma que “vírus vai regressar”

leave a comment »


Gripe A: “O vírus vai regressar”, declarações de Francisco George, director-geral da Saúde
Gripe A – Portugal

A pandemia da gripe A ainda não acabou e no Outono surgirá uma segunda vaga, afirma o director-geral da Saúde, Francisco George, em entrevista à revista ‘Focus’ nesta quarta-feira.

“Sabemos que a actividade do vírus vai continuar, vai prosseguir e que será preponderante na próxima época e por isso faz todo o sentido as pessoas continuarem a vacinar-se”, sustenta Francisco George.

O director-geral da Saúde afirma ainda que “o vírus não vai desaparecer. Temos a certeza que vai regressar e vai ser responsável por nova actividade epidémica”, acrescentando que “não se sabe que intensidade (o vírus) terá”.

Em relação as vítimas mortais, Francisco George diz que em Portugal, “foram registados 122 óbitos com uma idade muito inferior à gripe sazonal”.
Correio da Manhã


No Outono o vírus volta, era de se esperar, foi a estirpe predominante em 2009 e voltará com certeza, isso é certo, e de uma outra coisa poderemos também afiançar, as entidades oficiais continuarão a relembra-nos desse facto por vários motivos.

Primeiro porque temos por cá mais de 3 milhões de vacinas nos frigoríficos em vias de passar de prazo, parece que a GSK não está pelos ajustes de receber ou renegociar mais excedentes de vacinas, relembro que Portugal já devolveu 2 milhões, inicialmente comprou 6 milhões, apenas cerca de 700 mil pessoas foi imunizada contra o H1N1, sobrando assim mais de 3 milhões de vacinas.

.

Depois há que manter a coisa em banho-de-maria, não deixar cair em esquecimento, ir lembrando, ir sempre criando e alimentando o receio e o medo, de facto é disso que se trata, “receio, alarmismo e medo”, enjeitando sempre que, desde a OMS até ao diversos governos nacionais, foram “precipitados” na avaliação do risco, foram “irresponsáveis” no esbanjamento dos dinheiros públicos e foram “alarmistas” e “inaptos” na comunicação com o publico, por isso, há que não baixar a guarda não reconhecer o erro nem o facto, e ir mantendo a coisa em banho-de-maria, entretanto culpando os Blogs e as redes social pela sua própria incapacidade …


De facto tivemos um dos anos com menor taxa de mortalidade por gripe, todos os anos morre por complicações associadas a influenza (gripe sazonal) cerca de 250.000/500.000 pessoas em todo o mundo, Portugal seguiu a mesma tendência, tivemos também uma das menores taxas de mortalidade desde há muitos anos.

.

.


A única “taxa” que aumentou devido a Gripe A/H1N1 foi a capitalização bolsista dos cinco maiores laboratórios farmacêuticos produtores das vacinas, esses sim, em plena crise mundial, conseguiram o feito de ficarem “imunizados” (lucrando mais de 5 mil milhões) contra as percas na bolsa.

.

.

.

.

Relacionados:
Gripe A (H1N1) mata menos que gripe sazonal, diz o Instituto Ricardo Jorge

… com a gripe sazonal. Durante cinco semanas a mortalidade foi muito superior ao esperado pelo Sistema de Vigilância Diária da Mortalidade. A  coordenadora da Unidade de Referência e Vigilância Epidemiológica …
Sexta, 05 Fevereiro 2010

APCE: OMS e farmacêuticas acusadas de alarmismo em relação a pandemia de gripe A (H1N1)

… que por causa da gripe sazonal, como os países que não fizeram campanhas de vacinação não tiveram mortalidade maior. Assim, pediu à OMS que retire o nível de alerta pandémico 6, em vigor para a gripe
Segunda, 29 Março 2010
Gripe A (H1N1): Pandemia é menos mortal do que se pensava, revela estudo

… que a taxa de mortalidade causada pela doença ronda os 0,026 por cento, com base na análise de dados oficiais de Novembro. Os cientistas britânicos recuam e afirmam que a pandemia do H1n1 é cem vezes …
Sexta, 11 Dezembro 2009

Gripe A (H1N1) e taxas de mortalidade – infografia
(Gripe A/H1N1/Infografía)

Gripe A (H1N1) e taxas de mortalidade no mundo Doenças várias e percentagens na mortalidade.
Será a pandemia da gripe um exagero? infografia …
Terça, 27 Outubro 2009

Gripe A H1N1: Conselho da Europa vai investigar se farmacêuticas contribuíram para fomentar o pânico

… de 43 e 51 anos, ambas com factores de risco. Mesmo assim, comparando com outros anos, a mortalidade continua abaixo do esperado para época de gripe. No entanto, o Centro Europeu para Prevenção e Controlo …
Sábado, 09 Janeiro 2010

, , , , , ,

Powered by ScribeFire.

Written by CarlAn

22/04/2010 at 22:42

Vídeo mostra como se transmite o vírus da gripe

leave a comment »

Saiba como ocorre o contágio da gripe

Animação narrada por Robert Krulwich, que explica detalhadamente como um vírus da gripe dentro de uma gotícula de espirro pode fazer a infecção e provocar a doença.

Vodpod videos no longer available.

vídeo no Youtube sem legendas

Source: Flu Attack! How A Virus Invades Your Body, by Robert Krulwich

It starts very simply. A virus, just one, latches on to one of your cells and fools that cell into making lots more. Lots, lots more, like a million new viruses. This animation shows you how viruses trick healthy cells to join the dark side.

, ,

Powered by ScribeFire.

Written by CarlAn

20/04/2010 at 15:37

Novartis, resultado operacional cresceu 50% graças à vendas de vacinas para gripe A

with one comment

Novartis lucrou mais 49% no primeiro trimestre

A suíça Novartis registou um resultado líquido de 2 900 milhões de dólares no primeiro trimestre de 2010, mais 49% face aos lucros de há um ano atrás, foi divulgado esta terça-feira.


O desempenho reportado reflecte, em parte, o impacto das vendas de vacinas contra a gripe A (H1N1). O resultado operacional cresceu 50%, até aos 3,5 mil milhões de dólares. As vendas e os lucros da Novartis ultrapassaram as projecções de analistas.

As receitas do trimestre ascenderam a 12 100 milhões de dólares, evidenciando incremento de 25% (+18% a taxas de câmbios constantes). As vendas da vacina para a gripe A-H1N1 representaram 1,1 mil milhões de dólares para o laboratório de Basileia.
Dinheiro Digital


Clique para ver em maior

, , , , , ,

Powered by ScribeFire.

Written by CarlAn

20/04/2010 at 14:49

Laboratórios: Gripe A (H1N1) deu mais saúde a cinco acções europeias

with one comment


Gripe A deu mais saúde a cinco acções europeias

Os principais laboratórios europeus que vacinaram e trataram a gripe pandémica juntaram mais de € 5,3 mil milhões em receitas durante o ano de 2009 e ofereceram mais saúde aos investidores nos últimos três anos de crise.

Para os accionistas das grandes companhias farmacêuticas europeias, os últimos anos de crise foram passados com menos nervos. As cinco maiores empresas cotadas em bolsa do sector (Novartis, Roche, GlaxoSmithKline, Sanofi-Aventis e Astrazeneca) fizeram valer a sua qualidade mais defensiva.

As suíças Novartis (subiu 6,79% desde Abril de 2007) e Roche (perdeu 1,56% no mesmo período) deixaram para trás as quedas do mercado accionista suíço, que desceu quase 5%, mas também a vizinha europeia Sanofi-Aventis (perdeu 3,76% nos últimos três anos) caiu menos do que as 40 maiores acções francesas (CAC 40 desceu mais de 20%), assim como a britânica Astrazeneca passou pelo turbilhão financeiro e económico dos últimos três anos com perdas de 4,80% face à descida de 23% da totalidade do mercado londrino.

O ano de 2009 foi particularmente favorável às companhias farmacêuticas. O estado de alerta de pandemia de gripe H1N1, decretado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) levou os governos de muitos países a procurar soluções de vacinação e o reflexo está nos resultados anuais apresentados pelas farmacêuticas. A empresa que mais receitas arrecadou decorrentes da nova estirpe da gripe foi a inglesa GlaxoSmithKline, com mais de 991 milhões de euros, seguida da maior empresa europeia do sector, a Novartis, que amealhou 719 milhões de euros em vendas.

Os antivirais usados no tratamento foram também fortes impulsionadores das receitas da Roche e da GlaxoSmithKline. O medicamento Tamiflu, produzido pela companhia suíça e usado no tratamento gripal, cresceu dos 384 milhões de euros de receitas em 2008 para os 2,12 mil milhões em 2009 e o produto farmacêutico concorrente, Relenza, valeu 808 milhões de euros à GlaxoSmithKline, depois de ter gerado 71 milhões de euros de receitas em 2008.

Ao todo, as cinco maiores empresas europeias do sector juntaram mais de 5,3 mil milhões de euros decorrentes da gripe que já matou 17483 pessoas em mais de 213 países, de acordo com os últimos números de Abril da OMS. Ainda assim, estas receitas são uma gota no oceano de vendas das companhias de saúde.

Ler artigo completo em… Expresso.pt

Powered by ScribeFire.

Gripe A (H1N1): OMS exagerou no alerta da pandemia

leave a comment »

Gripe A (H1N1): Vírus “eclipsou-se” depois de matar 122 portugueses, diz Francisco George

leave a comment »

Vírus “eclipsou-se” depois de matar 122 portugueses
Gripe A – Portugal

imageO Director-Geral da Saúde, Francisco George, afirmou que o vírus da Gripe A, que só em Portugal matou 122 pessoas, “eclipsou-se” mas deverá reaparecer como o principal vírus da gripe que atingirá Portugal a partir do próximo Outono.

A ministra da Saúde garante que o Plano de Vacinação vai continuar.

“Neste momento não registamos actividade por gripe A, com excepção da Região Autónoma dos Açores. O vírus eclipsou-se na sua quase totalidade”, afirmou Francisco George.

Perante os dados contabilizados até à sexta semana do corrente ano, pode tirar-se a conclusão que a gripe sazonal foi residual e que 99% dos casos registados foram efectivamente de Gripe A, que teve o seu pico epidemiológico entre 16 e 29 de Novembro de 2009.

Leia o resto deste artigo »

%d bloggers like this: