Crohn's News Blog

Weblog – Informação sobre DII

Posts Tagged ‘pandemia

Gripe A (H1N1): OMS exagerou no alerta da pandemia

leave a comment »

Gripe A (H1N1): OMS exagerou no alerta da pandemia

Quase um ano após os primeiros sinais do vírus H1N1, o Conselho da Europa concluiu que a Organização Mundial da Saúde (OMS) exagerou no alerta em relação à pandemia de gripe A.
.

Em Genebra, na Suíça, a agência de saúde da Organização das Nações Unidas (ONU) anunciou que iniciará um processo de revisão de seus trabalhos, inclusive sobre o uso da palavra “pandemia” em futuras crises.

Leia o resto deste artigo »

Anúncios

Ana Jorge negoceia em segredo com GlaxoSmithline a devolução das vacinas da gripe A H1N1

with one comment

image

Ana Jorge negoceia em segredo com GlaxoSmithline a devolução das vacinas da gripe A H1N1

A Ministra da Saúde, Ana Jorge, manifestou esta semana à empresa farmacêutica GlaxoSmithline a intenção do Governo português de reduzir a encomenda das vacinas contra a gripe A, avança a

A decisão estava a ser ponderada há algum tempo no Ministério da Saúde, tendo a ideia surgido depois de se saber que outros governos europeus iniciaram processos de negociação com os laboratórios farmacêuticos no mesmo sentido.

Audio
Ministra Saúde diz estar a negociar fornecimento vacinas mas mantém objectivos de vacinação

A ministra da Saúde, Ana Jorge, confirmou hoje estar a negociar com a empresa que fornece as vacinas para a gripe A para encontrar uma “solução boa para todos”, mas manteve a intenção de vacinar 30 por cento da população portuguesa. A ministra Ana Jorge fez estas declarações no Parlamento onde esteve a jornalista Natália Carvalho.
rtp.pt | 29-01-2010

Portugal comprou à GlaxoSmithline seis milhões de doses de vacinas contra a gripe A por 45  milhões de euros. Previa, assim, vacinar três milhões de portugueses contra o vírus – isto na altura em que a Organização Mundial de Saúde (OMS) ainda defendia que era necessário tomar duas doses para se ficar imune ao H1N1.

Entretanto, as duas doses passaram a ser aconselhadas apenas aos bebés e crianças pequenas, ficando assim Portugal com um stock de vacinas muito superior ao que pretendia. Além disso, assim que começou a campanha de vacinação, o Ministério da Saúde verificou que a adesão, mesmo entre os profissionais de saúde, era muito inferior ao que se esperava.

Até ao momento Portugal recebeu apenas 470 mil doses do lote dos 6 milhões de vacinas encomendadas em Julho. Este ano, países como a França, Alemanha, Holanda, Inglaterra e Espanha começaram a renegociar e a reduzir a entrega de vacinas contra o vírus H1N1.
Fonte: Sol e CM | 29-01-2010

• Gripe a H1N1: Europa tenta livra-se dos excedentes de vacinas para a pandemia

EMA recomenda quarta vacina contra pandemia de Gripe A H1N1, Arepanrix da GlaxoSmithKline

leave a comment »


Image

.
.
.

Agência do Medicamento actualiza informação sobre gripe pandémica

EMA recomenda quarta vacina contra pandemia de Gripe A e actualiza informação sobre restantes vacinas e Tamiflu

O Comité de Medicamentos para Uso Humano da Agência Europeia do Medicamento (EMA) recomendou que fosse concedida a autorização de introdução no mercado condicional a uma quarta vacina contra a pandemia da gripe (H1N1), Arepanrix, da GlaxoSmithKline Biologicals.

Foram também revistos os dados adicionais das três vacinas com autorização de introdução no mercado (AIM) centralizada (Celvapan, Focetria e Pandemrix) e do antivírico Tamiflu.

De acordo com informação emitida pelo Infarmed – Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, IP, a recomendação de autorização da quarta vacina foi baseada num procedimento acelerado, utilizado para vacinas desenvolvidas durante uma pandemia.

A informação sobre Arepanrix foi avaliada de forma expedita, tendo sido iniciada em 17 de Julho de 2009, aquando da submissão dos primeiros dados. Estudos clínicos adicionais em crianças, adolescentes e adultos encontram-se em curso e os resultados ficarão disponíveis previsivelmente a partir de Março de 2010.
Leia o resto deste artigo »

H1N1: Keiji Fukuda (OMS) chama de “irresponsáveis” ás denuncias e acusações de que a pandemia foi forjada

leave a comment »

Responsável da luta contra a gripe A na OMS, Keiji Fukuda

H1N1: Keiji Fukuda (OMS) chama de “irresponsáveis” ás denuncias e acusações de que a pandemia foi forjada
.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) qualificou esta quinta-feira (14 Jan) de “irresponsáveis”, “historicamente inexactas” e “cientificamente incorrectas” as acusações de que a pandemia de gripe – A (H1N1) 2009 – foi forjada ou de que a instituição exagerou na sua gravidade.

O responsável da luta contra a gripe A na OMS, Keiji Fukuda, disse que tais alegações também são “desrespeitosas” diante de quadros severos dessa infecção e, sobretudo , frente às 13 mil pessoas mortas por causa da doença.

Em conferencia de imprensa, o especialista disse categoricamente que o mundo “está de facto diante de uma pandemia”, definida mais pela extensão geográfica do que pelo nível de severidade, segundo reconheceu.

Fukuda lembrou que a declaração de pandemia por parte da OMS acompanhou a rápida propagação do novo vírus, que em Abril passado foi detectado em dez países e territórios, passando para 74 em Junho e para 120 em Julho.

“Não vamos brincar com as palavras. O novo vírus da gripe surgiu na América do Norte, matou directamente 13 mil pessoas, embora quando se contar mais tarde com estimativas mais precisas, seguramente veremos que o número de vítimas [do H1N1] é superior”, afirmou.

Ler mais em… http://www.crohn.netne.net/index.php/dossier-gripe-a/44-dossier-gripe-a/687-h1n1-keiji-fukuda-oms-chama-de-qirresponsaveisq-as-denuncias-e-acusacoes-de-que-a-pandemia-foi-forjada

Gripe a H1N1: Europa tenta livra-se dos excedentes de vacinas para a pandemia

leave a comment »

Gripe a H1N1: Europa tenta livra-se dos excedentes de vacinas para a pandemia image

A Suíça junta-se a diversos países da Europa que estão a tentar desesperadamente livra-se das sobra ou dos excedentes de vacinas contra o H1N1.

São diversos os países que já manifestaram vontade de revender as suas vacinas por considerarem que têm vacinas em excesso para as suas populações e porque, a adesão das pessoas para as campanhas de vacinação foi muito baixa.

“falsa pandemia”

O médico alemão Wolfgang Wodarg, presidente do Conselho da Europa do Comitê de Saúde (chairman of the Council of Europe Parliamentary Assembly (Pace) Health Committee), afirmou que a “falsa pandemia” da gripe decretada pela OMS foi “um dos maiores escândalos da medicina do século”.

De facto, são vários os países que já manifestaram vontade de vender e/ou doar o seu excesso de vacinas, ou ainda em alternativa renunciar ou alterar os contratos de fornecimento que têm com os diversos laboratórios farmacêuticos, é o caso da Alemanha, Espanha, França, Holanda e agora também a Suíça.
Leia o resto deste artigo »

Gripe A(H1N1): A pandemia continua moderada, mas atinge mais os jovens, afirma OMS

leave a comment »

A pandemia de gripe H1N1 está moderada, mas infecta e mata pessoas muito mais jovens do que a gripe sazonal tradicional, afirmou a Organização Mundial da Saúde (OMS) na terça-feira.

Gripe A(H1N1): A pandemia continua moderada, mas atinge mais os jovens, afirma OMS

Comparando o número de mortes pelo vírus da pandemia de gripe H1N1 com os números da gripe sazonal pode ser enganosa, disse a agência da ONU.

“A OMS continua a avaliar o impacto da pandemia de gripe como moderada”, disse num comunicado. “Avaliações precisas das taxas de mortalidade e de mortalidade, provavelmente, só serão possíveis daqui a um a dois anos após a pandemia atingir o pico”.

ImageO vírus H1N1 já matou pelo menos 10.582 pessoas no mundo desde seu
aparecimento, em Abril (de 2009), mas estes são apenas os casos confirmados em laboratório. O teste é caro e exigente, e muitos países pobres, não investigam a causa da morte, como mortes por doenças respiratórias, incluindo a pneumonia, disse ainda
Image


“Por várias razões, estes números não dão uma imagem verdadeira da mortalidade durante a epidemia, que é indiscutivelmente superior aos indicados pelos casos confirmados por laboratório”, disse a OMS.

A gripe sazonal mata 250.000 a 500.000 pessoas por ano no mundo, mas esta é uma estimativa resultante de modelos estatísticos.

Ler mais em…http://crohn.netne.net/index.php/dossier-gripe-a/44-dossier-gripe-a/651-gripe-ah1n1-a-pandemia-continua-moderada-mas-atinge-mais-os-jovens-afirma-oms

Gripe A (H1N1): Pandemia é menos mortal do que se pensava, revela estudo

leave a comment »

Gripe A (H1N1): Pandemia é menos mortal do que se pensava, revela estudo Image

A pandemia da gripe A (H1N1) é “consideravelmente menos letal” do que se pensava inicialmente, afirmou hoje o assessor do governo britânico para a área da Saúde, Liam Donaldson, com base num estudo publicado na BMJ.

A investigação, publicada hoje na revista médica British Medical Journal (BMJ), salienta que a taxa de mortalidade causada pela doença ronda os 0,026 por cento, com base na análise de dados oficiais de Novembro.

Os cientistas britânicos recuam e afirmam que a pandemia do H1n1 é cem vezes menos letal do que a da gripe espanhola, em 1918, e quase dez vezes menos letal que as pandemias de gripe de 1957 e de 1968. “A primeira pandemia de gripe do século XXI é consideravelmente menos letal do que se temeu de inicio”, afirmou Liam Donaldson, assessor do governo britânico para os assuntos médicos.

O estudo, foi publicado no site do “British Medical Journal” (ver link em baixo), e explica que, por meio de observação de pacientes internados entre Julho e Novembro passados, conclui-se, que a taxa de mortes pela doença é de 0,026%, segundo a análise dos dados oficiais registados até Novembro.

As conclusões do estudo foram conhecidas na altura em que o contágio pelo vírus H1N1 na Grã-Bretanha continua a diminuir, contrariando as previsões iniciais.

No inicio desta semana, os americanos do CDC (Centro de Controle de Doenças) afirmaram que a gripe A H1N1 poderá tornar-se a mais fraca pandemia registada, com uma taxa de óbitos inferior à da gripe comum. (Lusa)

Study

Study confirms low mortality for swine flu

They analyzed data from Milwaukee and New York, two U.S. cities that have kept detailed tabs on outbreaks of H1N1, to calculate a likely mortality rate of 0.048 percent.

“We have estimated … that approximately 1.44 percent of symptomatic pandemic H1N1 patients during the spring in the United States were hospitalized; 0.239 percent required intensive care or mechanical ventilation; and 0.048 percent died,”

http://crohn.netne.net/index.php/dossier-gripe-a/44-dossier-gripe-a/622-study-confirms-low-mortality-for-swine-flu

Ir para Website Crohn's News

Written by CarlAn

11/12/2009 at 16:30

%d bloggers like this: